<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6422818757094739375\x26blogName\x3dOversleep+Poker+Blog\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://oversleeppoker.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://oversleeppoker.blogspot.com/\x26vt\x3d1085140569499982408', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
sexta-feira, 14 de março de 2008
EPT Varsóvia - Oversleep
Pois é, Oversleep is out, dia 1B, ao 5º nível, 150-300.

Cá está o relato desta experiência.

Passei grande parte do 1º nível a analisar a minha mesa e passado algum tempo já tinha na minha cabeça um descrição e perfil de praticamente todos os jogadores da mesa.

Posição 1 - Internet player, activo em muitos potes, mas overall nada de impressionante deste jogador. Posteriormente veio outro jogador que "tinha muita pressa de sair", bluffer, muito activo, impaciente... well... a little donkie.
Posição 2 - EU
Posição 3 - O donk da mesa, o jogador com quem me queria envolver, sempre que estava forte fazia apostas ridiculamente baixas do género 1/4 do pote ou menos, pelo contrário quando apostava 3/4 ou mais... estava fraco. Tem dificuldades em largar mãos pós-flop, nomeadamente mãos como top pair. Acabou por "donkar" a stack aos poucos, sendo que não tive oportunidades de ser um dos "felizardos".
Posição 4 - Perfil de online MTT player. Bom jogador, perfil LAG, mas que abusava de squeezes a limps e re-steals a late position raises. Este era o segundo jogador da mesa cujo perfil penso que podia explorar, por estar apenas a 2 posições de mim, e sabendo que me iria fazer bastantes resteals light.
Posição 5 - Vazio durante 2 ou 3 níveis, depois tiraram as fichas (sim, alguém pagou este EPT e não jogou) e acabou por vir outro jogador para a mesa... falador, alguns bluffs, mas overall, fraco.
Posição 6 - Voitto Rintala, regular EPT player, Sólido, jogador que, pelo menos nestes primeiros nívels, não estava com disposição de fazer grandes moves, a jogar standard TAG e só escalava potes quando estava bastante seguro.
Posição 7 - Lostlucky.
Posição 8 - Jogador Aggro e algo tricky, Limp-Reraises, Raises e Check-Raises a Cbets, Limps UTG de AQ, Re-raises light, algo explorável também a nível da agressividade desmedida.
Posição 9 - Muito sólido, Tight, poucas mãos jogadas, poucas mãos mostradas, jogador a respeitar. Thinking player. Um dos meus favoritos para este torneio.


Cá vai então uma descrição detalhada de algumas mãos interessantes que joguei neste torneio.

No primeiro nível, 25/50 tinha definido que iria apostar numa de duas abordagens, algo dependendo do feeling do momento e maioritariamente da postura e dinâmica da mesa:
. A 1ª, e minha preferida actualmente em torneios com estrutura minimamente deep, quer live quer online, construir uma imagem bastante loose e agressiva, jogando bastantes potes, "especular" cerca de 20%/25% da minha stack em spots marginais, bluffs, semi-bluffs... well... reforçar uma imagem LAG.
Isto para posteriormente tirar proveito dessa imagem nas minhas mãos fortes e fazer algo que sinto que consigo aproveitar muito bem, o playback que me fazem devido a esta imagem, boas mãos mais facilmente pagas, etc...
. A 2ª opção seria ficar calmo no 1º nível e não especular muito, esforçar-me mais por ler os meus adversários e manter-me tight, jogar mãos sólidas em posição, não jogar mãos especulativas sem posição e esperar por bons "spots".

Desta forma, praticamente até ao fim do 1º nível não joguei mais do que 4 ou 5 mãos, suited connectors etc... em que acabo por ganhar 1 ou 2 small pots e nas restantes abandonar em missed flops ou turns. Posteriormente alterei para uma abordagem bastante mais LAG, já que as mãos não estavam a ajudar e o conhecimento profundo que já tinha da mesa me dava confiança para fazer o shift no meu jogo.


Tenho então a primeira grande mão no fim deste primeiro nível.

QQ
(nível 25/50)
Praticamente no final do primeiro nível, e tendo até aqui jogado poucas mãos, sem grande envolvência em potes grandes, isto é, com uma imagem tight, sólida, faço raise com QQ para 175 e levo com 2 calls das blinds, Lostlucky e o jogador agressivo da posição 8.
Flop K78, 2 paus.
Lostlucky Check na SB e o outro jogador donk bet de 400, que neste momento para mim significa absolutely nothing.
Faço raise para 1400, o Lostlucky faz fold e o jogador faz re-raise para 3200.
Ora bem... easy fold? Início de torneio... tenho 10k aproximadamente atrás.
Não.
Vamos pensar na mão.
Range de mãos do meu adversário? AA, KK, AK? Não, nunca. Não fez re-raise pré-flop(algo que este jogador faria sempre) por isso não tem estas mãos.
KQ, KJ, K10? Sim, possível... apesar de um jogador "standard" optaria certamente por pot control com estas mãos, este jogador é aggro suficiente para fazer isto com estas mãos.
910, 67? Sim, possível... mais 910 do que 67, mas certamente são mãos com que este jogador é capaz de fazer esta move, semi-bluff.
Flush draw? sim possível.
Set? Possível... mas não tanto... acho que ele não vai fazer o 4bet com 77 ou 88. Jogador tricky, depois de me ver a fazer raise à aposta dele, tenho grande confiança que ele vai fazer apenas call para eu "me enterrar" no turn.
Combo draw, 9paus10paus, 6paus7paus...? Possível... e verdadeiramente... a única mão que verdadeiramente me assusta.
Isto é, tirando combo draw e um improvável set (pelo que digo acima) todo o range dele é foldável, quer a nível da força das mãos, quer a nível de fold equity que tenho nesta mão, e não há nenhuma mão no range dele suficientemente forte para fazer call a um shove meu.
Para além disso, a minha imagem por esta altura era bastante sólida, tight e certamente que este jogador me dava crédito se eu lhe mostrasse força e me colocaria em 77,88,KK.
Portanto, na minha cabeça, após este raciocínio só tenho uma coisa a fazer, não posso pensar que é um EPT, não posso pensar que são 5keuros de buyin, nem posso pensar na "vergonha" que seria se a minha leitura não estivesse correcta.
Agressive poker is winning poker e tenho uma leitura, acredito nela, sentiria-me o pior jogador do mundo se fizesse aqui um fold "normal" e conservador a pensar "é uma decisão para 1 EPT de 5k euros, e vou fazer shove com um 2º pair?", não seria eu...
Costumo falar de "poker que pinta" (quando batem os nossos sets, flushs e quando temos AA vs KK etc etc...) e do "poker que não pinta", onde não temos nuts, onde as nossas mãos não batem no flop ou onde não temos mãos suficientemente boas num torneio... este é o poker dificil, onde temos que nos basear nas nossas leituras para encontrar spots onde as nossas fichas devem entrar na mesa.
E esta situação é isso mesmo, tenho uma read, que sinto como muito segura, fiz uma análise, portanto, ship the money...
Re-raise allin de 10k aproximadamente...
Ele pensa um pouco... e faz fold.
Owned, Overowned... :)


A5o
(nível 50/100)
Pote com 3 limps, faço complete na SB, BB check.
Flop 772.
Toda a gente faz check.
Turn traz um novo 7 e neste momento decido apostar 325 no pote de 400, sentindo que estou a fazer value bet do meu Ace high como melhor mão, isto porque sinto que não há middle/low pocket pairs nas mãos dos meus adversários, já que, uma grande parte das vezes, todos eles teriam apostado este "bom flop", de forma a se protegerem contra o surgimento de overcards.
Portanto sinto aqui que estou à frente, apenas restando a possibilidade remota de um slowplay de um 7... ou de a BB ter um 2 (free flop).
A BB (posição 3, o Donk) faz call e os dois restantes jogadores fazem fold.
Aqui sinto que ou tem um 2 ou me fez call com Ax, Kx com 2 broadway cards, KQ, KJ,K10 (sim faz sentido neste jogador... mega donk), ou possivelmente em flush draw já que o turn trás 2ª carta para cor.
River J, não completa o flush e decidi disparar nova aposta de 850 já que aqui apenas estou atrás de um 2 ou de algo do género KJ. Tirando as mãos com 2 ele tem que fazer fold a tudo o resto no range dele.
Well, ele não pensa muito e faz call, tinha mesmo um 2, Full House is good. No problem.


QJo
(nível 50/100)
Raise Middle position 275 e levo 2 calls, um deles do Lostlucky.
Flop A28 rainbow.
Faço Continuation Bet de 700, 1ro jogador faz fold e Lostlucky faz call.
Turn traz uma blank card, um 5 ou 6.
Decido aqui disparar 2º barrel de 1800 fichas devido a:
Não existirem draws na board de mãos que fazem call no flop;
Se faço check neste turn estou a dizer que não tenho A, ou no máximo que estou a fazer pot control de AJ,A10... e não vou conseguir nunca levar este pote no river.
Sei que aqui ele só me faz call com 2 pair+ e o único Ax que me faz call(non 2 pair) é AJ, que consequentemente me parece ser o maior kicker possível para um Ax dele.
Ele estava com bastantes fichas da 1ª dobra com AA. Se tivesse AK ele faria re-raise e muito possivelmente AQ também, portanto são mãos que excluo do range dele.
Desta forma estou a coloca-lo num range AJ,A10,A9,A7,A6...ou em algo tipo 99.
A minha imagem nesta fase inicial era tight já que joguei poucas mãos no primeiro nível e não me envolvi em potes grandes, não escalei demasiado os potes até aí(tirando a mão do QQ)... desta forma sei que aqui estou a representar value bet de AK, AQ e sei que o vou obrigar a fazer fold de praticamente todo o range dele.
Apostei desta forma 1800 fichas e ele faz fold.
Pelo que disse alguém posteriormente, ele fez fold de A10, estava dentro do range que eu previa.


Q6o
(nível 50/100)
Director do torneio anuncia que será a última mão do nível e a seguir iniciará o break. Lostlucky, que estava activo em muitos potes, faz raise UTG para 250 e leva call do jogador sólido na posição 9...
Well, aqui, ainda antes de ver as cartas tomei a decisão que iria fazer re-raise neste pote com qualquer duas cartas.
A razão? Última mão, jogadores já "fora da mão" e o range do Lost é bastante wide neste momento, quer devido à forma como tem jogado desde que ganhou o primeiro grande pote quer devido ao facto de ser a última mão. Para além disso o outro jogador não demonstrou nenhum tipo de força ao fazer apenas call a um jogador com imagem loose, portanto, não tem nada particularmente forte também.
A mão? Q6o... blarghh... não é muito bonita... mas se a read estiver correcta... it will work.
Raise para 1200... Lost fold... e o outro jogador "chora" o fold que já era óbvio... e lá acaba por abandonar a mão, nh.


A9s
(nível 75/150)
Faço raise no cutoff para 400, sendo que a BB está morta (o tal jogador que não apareceu)...
A SB faz-me re-raise para 1100...
Ora bem, 2 dados importantes nesta mão que me fizeram considerar 4-bet a este jogador com uma mão tão frágil como A9s.
Ele era bastante agressivo perante late position raises e gostava bastante de fazer re-steals, etc...
Para além disso, o facto de a BB estar sitout.
Estes dois dados em conjunto fazem-me pensar que há uma grande possibilidade de ele pensar que eu estou fraco e estou apenas a roubar a "dead blind"...
Tinha nesta altura uma stack de 12k aproximadamente e considerei fazer 4bet para 3000 dado que sinto que tenho a melhor mão aqui e que ele está a fazer isto com um wide range... mas após alguma ponderação, não sentir nenhum tipo de tell de fraqueza da parte dele e pensar que nesta altura a relação risco/recompensa não era tão importante quanto isso para o desenvolvimento do torneio, decidi abandonar a mão.
É esta definitivamente a única mão do torneio onde sinto que posso ter cometido um erro, e ter deixado escapar algumas fichas... mas you never know... mentalmente para mim era um spot 50%/50% (fold/4bet).


Por esta altura 75/150 comecei a fazer bastantes mais raises e re-raises bastante light... as mãos não estavam a ajudar, aliás... olhando para todo o torneio não fui muito feliz a esse nível, basicamente... tive 2 premiums, QQ e JJ. Para além disso não estava a bater em nenhum flop... Desta forma subi até às 16k/17k fichas basicamente playing the players, porque cartas... nem vê-las.

67s
(nível 75/150)
Pote de limps, faço complete na SB com 67s. 4 jogadores na mão, Lostlucky + jogador posição 9 + eu na SB e + check da BB.
Flop AAQ.
Faço check e BB faz check também... Lostlucky aposta 400 e o seguinte jogador faz fold.
Ora bem... aqui é tão claro como a água que esta aposta do Lost não tinha sentido nenhum.
Ele está com uma stack super confortável, a abrir 40% ou mais dos potes com um range bastante wide, e qualquer mão que ele tivesse com um Ás teria sido raised pré-flop, já que foi ele a abrir o pote.
Desta forma... não tem um Ás, nunca, neste contexto... no máximo uma Q... e até isso vai ter dificuldade em fazer call a um check-raise... porque certamente sabe que vou disparar 2º barrel e se necessário 3º barrel, turn e river, porque aqui sei onde ele está na mão.
Para além disso ele viu a minha mão onde fiz complete com um Ás na SB... por isso não é descabido para ele colocar-me num Ás.
Desta forma, check-raise para 1400 e ele acaba por fazer fold... era demasiado óbvio.


57s
(Nível 100/200)
Folded até à SB, o jogador da posição 9 faz complete na minha BB(posição 1 vazia)...
Faço raise para 600 na BB com 57 de espadas e ele faz call ao raise.
Penso que aqui o range dele é bastante grande e ele não me coloca em nada particularmente forte, portanto penso que ele vai "especular" um pouco com praticamente todas as mãos com que faz o complete.
Flop AKK duas espadas. (Tenho 57 de espadas)
Board algo complicada, mas não me parece que ele tenha um Ás aqui e penso que poucas vezes ele vai apostar um K aqui.
Ele faz lead bet de 600 e decidi aqui seguir uma linha que poderia representar um K, sabendo que tenho outs para flush.
Desta forma faço call neste flop para reavaliar o turn.
Penso que é uma linha mais coerente já que fazendo raise neste flop ele nunca me dará crédito por um K já que sabe que eu sei que fazendo isso estou a afastar mãos piores.
Turn vem uma blank card, um 2 penso, e ele continua a apostar, aproximadamente 1200 e aqui sim, penso que se torna algo mais eficaz a "representação de K", parecendo-me aqui q ele vai fazer fold de praticamente tudo que não seja um K ou 22.
Faço raise para 2900 que penso que é o raise que faria exactamente se tivesse um K.
Ele fica a pensar imenso tempo, parece demonstrar indecisão, mas acaba por fazer call.
Aqui soam os alarmes, e bem alto, penso que se ele me fizesse reraise eu colocaria a possibilidade de ele ter outras mãos que não tivessem um K, mas depois deste "teatro" todo e apenas call... well... infelizmente, parece-me pretty shure que ele tem realmente um K... e vou desistir da mão caso o meu flush não bata.
River blank, não bateu o meu flush e para além disso, já sinto aqui com toda a força do mundo que ele realmente tem um K.
Ele faz a value bet perfeita de aproximadamente 1/2 pote, nitidamente está a tentar extrair max value do K dele, olho para a stack dele atrás... e vejo exactamente a mínima stack possível que ele poderia deixar a nível de me fazer pensar que eu ainda teria fold equity, isto é, aquela stack que me tenta fazer pensar que fazendo shove o posso obrigar a foldar, e ao mesmo tempo... se lhe fizer call é um bom value que ele extrai da mão.
Foi uma grande aposta da parte dele, se calhar insignificante aos olhos desantentos, mas apenas mais uma confirmação de como deve pensar um grande jogador de poker, very nice bet, very nice hand sir... I fold.



JJ
(Nível 100/200)
2 jogadores fazem limp, o jogador tricky da posição 8 e o jogador da posição 9 que eu respeito.
Faço raise para 1100, o primeiro faz fold e o segundo faz call.
Ok... aqui estou a colocá-lo num middle to bottom pair... e está atrás do seu set.
Este é definitivamente uma das situações onde prefiro ver um flop A102 do que um flop 678, já que no primeiro flop tenho bastantes maiores garantias de estar à frente do que no segundo.
Imaginemos este segundo flop.... 678... bate em 5 mãos do range dele, 55,66,77,88,99.
Flop vem 235, o que não sendo dos melhores flops do mundo neste contexto, não é muito mau... tirando para 55 ou 66...
Ele faz check e eu faço cbet de 1800.
Ele fica cerca de 3/4 minutos a pensar... e aqui realmente fico assustado.
Seria um spot bem complicado se ele me fizesse check-raise aqui, contra este jogador, seria mesmo dificil para mim pagar um raise ou fazer shove em cima dele.
Não sei realmente o que faria se ele fosse por cima, pode parecer um easy call... mas contra um thinking player, contra este thinking player não o é definitivamente, ponderaria muito mesmo um fold aqui contra este jogador... mas ele após toda esta ponderação, acabou por fazer fold, ainda bem.



Mais alguns pequenos potes e mais tarde mudo de mesa, e vou para a mesa onde está o Wade para além dos pros Andrew Black e Thomas Wahlroos (que mais tarde viriam a ter uma mão brutal 106 > AK AIPF).

E é então que tenho a seguinte mão, 2ª mão na mesa.

J10s (copas)
(nível 150/300)
Andrew Black faz raise para 750 middle position.
Eu faço call no cutoff, Button call e SB call.
Flop AQ9, Q e 9 de ouros, dando-me desta forma open ended straight draw.
Andrew Black faz Cbet de 1100, aproxidamente 1/3 do pote.
Aqui tenho uma decisão para fazer semi-bluff no draw, fazendo raise à aposta dele, ou apenas call.
O problema de fazer raise aqui é que ainda faltam 2 jogadores para falar... e se faço raise neste flop e alguém faz shove... fico num spot complicado para fazer call num draw(raise em draw > call em draw).
Desta forma decido fazer apenas call e adiar uma decisão para o turn.
Por esta altura eu tenho a mão definida, tenho um plano para a mão:
(Isto se ambos os outros 2 jogadores fizerem fold) A cbet dele pode significar muita coisa, nomeadamente do jogador que é, o range dele pré-flop para fazer raise aqui, não diminui
com esta cbet... é um jogador que conheço bastante bem, e sei que vai fazer esta cbet com nuts ou com air da mesma forma.
Aqui vai fazer cbet de AK, AJ, A10, A2s, 55, 66, KJ... exactamente igual... isto é... esta cbet, neste momento é praticamente "insignificante".
Desta forma, o meu plano para a mão envolve várias soluções... por um lado se o meu open-ended bater, ok, easy.. mas mesmo que não bata, sinto que há cartas que me podem ajudar a representar algo e a afastá-lo de praticamente todas as mãos do range dele (que não sejam AQ, A9 e trios).
Essas cartas são qualquer carta de ouros..., qualquer Q e possivelmente qualquer A, adicionando aos 4 8's e 4 K's... para o meu open ended.
Isto porque são cartas que encaixam na linha de mãos que eu segui até aqui, pré-flop e flop.
Uma mão tipo suited connector de ouros, vai jogar desta forma, e se bater um ouro, eu vou fazer raise com o meu flush... tal como se bater uma Q eu vou fazer raise com o meu "KQ" ou "slowplay de AQ no flop"... ou um A10, AJ vai jogar assim também, sendo que são tudo mãos que posso representar... fidedignamente.
Turn Q
Aqui está uma das "scary cards" para o range dele... se ele for pressionado após sair esta carta... ele vai ver-se obrigado a fazer fold dos seus top pairs e obviamente todas as outras "air & medium hands" que ele faz cbet...
Ele aposta 2000 que para mim aqui só pode ter 2 interpretações... extreme weakness ou extreme strenght.
Seguindo a linha do plano que defini no flop... faço shove das minhas 9k+ fichas a dizer "Bati forte neste turn, tenho KQ com 2º pair e não acreditei na tua cbet" ou então... "Fiz slowplay de AQ",
sabendo que tenho fold equity ainda e sei que ele é obrigado a fazer fold de grande parte do seu range.
Para além disso... se ele me fizer call, tenho sempre 7/8 outs... se fizer call com AK por exemplo.
Mas tenho firme convicção que todos os Ax ele vai fazer fold, desde AK, passando por AJ, A10, etc... mesmo tendo A9, o seu segundo par fica contrafeito.
Todas as mãos "air" ou small to medium pair vão também fazer fold.
Bom, infelizmente não há fold equity que resista a alguém com Full House e infelizmente ele bateu mesmo verdadeiramente forte neste flop com 99, trio de 99's, Full House no turn.
Well... não podes obrigar a fazer fold alguém com Full house. :)
Bad read? Sendo result oriented sim... mas olhando a como se processou a mão, não.
Acho que tudo se processava exactamente igual tenho ele AK,AJ,A10, ou small/medium pair(onde muito provavelmente faria check num qq turn que não este... onde poderia seguir esta mesma linha num pensamento "eu tenho esta scary card").
Nesta situação, neste contexto, contra este jogador, com esta acção e com estas stacks... não alteraria esta decisão, nunca.
Contra outro jogador, com outras stacks minha e dele, etc... tudo seria diferente e poderia ter sobrevivido a este spot.
Para além disso, segundo o Wade me disse posteriormente, ele disse algo que me deixou de consciência completamente tranquila quanto à minha decisão e quanto ao que representei, que foi "Pensei mesmo que ele tinha AQ, mas tinha que fazer call... não poderia fazer fold de um full house".

Desta forma... that was it...



Overall, estou de consciência completamente tranquila com todo o torneio que fiz(apenas aquele 4bet A9 me deixou algumas dúvidas) e não alteraria nenhuma das minhas decisões, do primeiro ao último minuto, da primeira à última mão.
Revelando um pouco o que me vai na mente, apesar de esta ser apenas a minha primeira experiência num evento de 5k+ e com jogadores de nível bastante superior ao habitual nos nossos torneios, senti-me muito bem, zero nervosismo, boas leituras, análise correcta dos meus adversários, colocação em mãos, joguei com agressividade, obriguei sempre os meus adversários a fazer fold sem showdown meu, o que é algo que me agrada muito, apenas foram vistas 2 mãos minhas, o A5o e a última mão no allin.
Pode parecer pretencioso mas quem me conhece sabe que não o sou, antes de entrar num torneio desta dimensão sentia que possivelmente poderia ser "owned" por muita gente, dado que existe um field muito grande de online pros nestes torneios, para além dos habituais profissionais do circuito sobejamente conhecidos, mas de facto, aconteceu o oposto e senti que em torneios desta dimensão estou "como peixe na água" e consigo encontrar edges muito superiores num bem maior número de jogadores do que esperaria inicialmente.
Não senti a pressão da primeira vez, não tive nunca nenhum tipo de medo e não alterei uma única decisão que eu sentisse que era EV+ pelo facto de estar perante uma decisão de 5000€ ou por ser um EPT, ou ser a primeira vez e querer fazer boa figura, etc etc...
Fiz o que faço sempre, jogar para ganhar, jogar o meu melhor poker sem nenhum tipo de restrição psicológica ou estratégica...
Infelizmente o torneio não me proporcionou momentos de "poker que pinta", não tive premiums a serem pagas por outras premiums inferiores, ou flopei sets, etc.
Tive que jogar "poker que não pinta", aquele, mais dificil, onde temos que obrigar adversários a fazer fold de mãos melhores que as nossas, ou onde temos que recorrer ao 75s como se fosse AA.
Tive um QQ e um JJ e tirando isso passei o torneio a jogar mãos "especulativas" como connectors ou Ax, broadway type of hands.
Não ter batido num monstro contra o Andrew Black e ter tido algumas mãos fortes a serem pagas nos níveis seguintes, e estaria certamente com uma stack bastante boa para o 2º dia.
Actualmente não concebo o poker do deixar morrer para entrar no dinheiro, ou deixar ficar com 4 ou 5 blinds até vir o AA...
Os spots estão lá, eles existem, em maior ou menor número... mas os spots para obter fichas "sem mãos" estão lá, apenas precisamos de estar atentos quando eles aparecerem...
porque para esses, realmente precisamos de estar atentos, porque, como digo... AA vs KK Allin pré-flop é fácil... e o poker tem tanto mais do que isso.


Foi bom, e, definitivamente, sinto-me preparado e motivado para mais.


Queria deixar um agradecimento especial à Betfair por me proporcionar a oportunidade de poder participar neste evento ao mais alto nível.
Digo isto com a maior das sinceridades, tenho orgulho em fazer parte da equipa Betfair.
Sei e cada vez mais confirmo que esta sala quer a nível da sua política, quer a nível do trato, das pessoas, do profissionalismo, está definitivamente "lá em cima".
Com esta postura, não será difícil atingir o top nas salas de poker online.


Muitos parabéns ao Jojojojojojojomané pela excelente prestação... proud of you Primoooooooooooooooo! Cada dia mais forte, cada dia mais Metagame!

Caco... you rule! Não, não estou aqui a colocar isto porque me pedes para te dar agradecimentos públicos em todos os posts (quer seja a falar de poker, do aquecimento global, de futebol ou de migração das aves de rapina...não sei porque... queres sempre agradecimentos à tua pessoa... que gajo chato.. :p )... Well... mas quanto aos agradecimentos, estou a ser sincero. Tu rulas mesmo... excelente trabalho, excelente cobertura, excelente companheirismo, excelente apoio... excelente amizade.
Só quem está contigo sabe valorizar o teu excelente trabalho, eu valorizo-o!

Tive o prazer de conhecer o Sorel Mizzi aka Zangbezan24 aka um dos meus jogadores online de torneios preferidos aka top of the top's e discutir ao jantar some poker strategy... that was good. Nice guy, very nice chat. ;)





Beijos e abraços para todos que me enviaram mensagens e ligaram a apoiar.



(EDIT 16/03) Muitos parabéns ao Lostlucky pelo fantástico 2º lugar neste torneio! Sem dúvida um grande marco para ele e para o poker em Portugal.



Ty All,
Oversleep.
 
posted by oversleep at 21:48 | Permalink | 5 comments
sexta-feira, 7 de março de 2008
Solverde Season #3 & EPT Varsóvia coming....
Antes de mais, uma pequena reflexão sobre o porquê de nos últimos tempos escrever pouco no blog.
Basicamente, em conjunto com alguns assuntos da minha vida pessoal, tenho sentido nos últimos tempos algumas dificuldades ao nível da gestão de tempo, e não estou a conseguir cumprir plenamente os meus objectivos a nível de escalonamento de tarefas poker related.
Entre uma "pequena desgraça" onde o desktop deixou de funcionar e consequentes dias para tentar solucionar o problema e depois organizar e instalar tudo de novo... e "issues" da vida pessoal, neste início de ano o conjunto de factores concentração/motivação (que normalmente em mim estão em níveis altíssimos)... não estão no máximo possível!

Desta forma é positivo ter essa noção que, ao contrário do que poderia acontecer, não estou a cometer o erro de jogar mais do que devia e forçar já que tenho a noção que overownage it's not there on these days! Cabeça limpa, concentração total, motivação, inspiração e afins... são tudo requisitos essenciais para praticar bom poker.

Portanto, tenho jogado bem menos do que seria habitual e andado algo distante de poker. Após Espinho & Varsóvia I'll be back. :)

De qualquer das formas... um dos objectivos do ano já está concretizado... e logo no inicio do ano.

Ganhei pela primeira vez um prize de 5 dígitos (e em €€€€) num torneio online (live já tinha conseguido isso)! :)

Como foi logo no primeiro mês do ano... é bem provável que não venha a ser o único!!! Quero mais, mais e mais!

Quanto a torneios live, nos últimos tempos estive no Campeonato de Espanha por equipas com a Betfair, ganhei o meu sitgo mas no âmbito geral não conseguimos apurar a equipa Betfair para o sitgo final por apenas 2 pontos.
Estive também presente no torneio regular do Estoril durante a última quarta feira de cada mês sendo este o torneio mais ridículo elaborado por cá... não há outra forma de o dizer, a organização é má e a estrutura é hilariante... de 2 em 2 níveis numa estrutura de blinds normal é "roubado" um nível. Basicamente neste torneio atribuo 50% de importância ao factor sorte. Só aconselho este torneio a quem não tem possibilidade alguma de jogar o Solverde.
Quanto ao Solverde #2, oh well... mais uma vez deep e mais uma vez a sorte a não ajudar no final. 24º lugar de novo (tal como no anterior) onde após entrar na última mesa com uma stack muito boa perco 4 races que me colocam fora do torneio, é necessário ganhar algumas races nestas alturas cruciais, eu não ganhei...out.

De qualquer das formas, estou a jogar torneios a um nível que considero bastante forte e tenho criado sempre condições para grandes resultados... há sempre aquele factor extra sempre necessário, aquela bad beat que não nos atingiu, aquele cooler que não aconteceu ou aquela race que teve que ser ganha.

É engraçado como se processam os meus torneios ao vivo neste momento... passado 1/2 horas... se tiver a felicidade de me manter na mesma mesa... existem "virtualmente falando" por cima de cada jogador da mesa algo parecido com os balões de diálogo nos comic books com notas detalhadas ... um por cima de cada jogador... com as minhas notas... (metaforicamente falando).
Algo fundamental a este nível, e isto aplica-se quer online quer live, é o facto de existirem logo 4 jogadores que são o meu principal foco de atenção e definitivamente os jogadores que pretendo saber "o que comem ao pequeno almoço, o que vestem, qual é o seu prato preferido e qual é o seu clube"... que é como quem diz... ter informação detalhada sobre eles.
Esses 4 jogadores são os dois jogadores à minha esquerda e os dois jogadores à minha direita.
A minha Small Blind e Big Blind e o jogador que é a minha Small Blind/Button quando eu sou Big Blind/Small Blind. Se repararem é normal serem estes 4 jogadores com quem jogam mais mãos no decorrer de um torneio... nomeadamente em fases mais avançadas do mesmo.
À medida que o torneio vai decorrendo obviamente que devemos recolher tudo o possível sobre os restantes jogadores da mesa.


Neste momento este é um dos pontos mais fortes do meu jogo, a análise de jogadores em torneios ao vivo, atribuição de perfis, captar tells, jogar player oriented poker e usar toda a informação disponibilizada, que é tanta mais do que as pessoas pensam.
Considero o field habitual dos nossos torneios muito "aberto" a esse nível, disponibilizam demasiada informação quer em questões de linguagem corporal quer naquilo que dizem quer em padrões de apostas por exemplo.
São mais que muitas as situações complexas onde o meu adversário "me ajudou" a tomar a melhor decisão.
Costumo muitas vezes dizer que "os jogadores me dizem o que têm"... de qualquer das formas é importante conseguir filtrar quem são os jogadores que "nos dizem o que têm" inconscientemente... daqueles que nos tentam dizer algo conscientemente... mas, com esforço e atenção, ambos os "perfis" são perceptíveis.

Well, de qualquer das formas, este é um daqueles assuntos em que o policy (para mim alguém que também tem skills a este nível) me diria... "Não abras o teu jogo miúdo!" :)
E tem razão...


Este fim de semana Solverde Season #3.

Próxima semana EPT VARSÓVIA!




Será o primeiro grande torneio internacional e estou completamente motivado para o primeiro EPT.

Poderia sentir-me nervoso com o primeiro grande torneio, mas não, pelo contrário, sinto-me bastante descontraído, confiante e motivado. É habitual para mim sentir-me melhor quão melhor for o nível dos meus adversários. Maior "deep thinking", mais meta-game envolvido, jogadores bem mais agressivos, estrutura deep... tudo factores que beneficiam completamente o meu jogo.


So... Good luck me & all the tugas.

Next post... Resumo EPT. :)
 
posted by oversleep at 14:52 | Permalink | 4 comments